O Diferencial foi, na verdade, fundado em 1990. Na altura como publicação da direção da Associação de Estudantes do Instituto Superior Técnico, não passava de um folheto informativo. Um ano mais tarde, em 91/92, tornou-se uma secção autónoma independente e, assim, foi fundado o Jornal dos Estudantes. Por esta casa passaram e para ela contribuíram muitos ilustres membros da comunidade, pense-se em Mariano Gago, Dias de Deus, Guterres, Marçal Grilo… Foram feitas entrevistas às mais relevantes figuras nacionais, muita tinta correu sobre os variados assuntos internos do instituto e sobre o estado da nação. Desde a sua fundação, o Diferencial tem sido uma peça fundamental na nossa comunidade estudantil. Contou, ao longo destes 30 anos, a história do Técnico duma perspetiva única: a do corpo estudantil. Embora tenha vindo a adotar uma
vertente mais cultural e artística, o papel mais jornalístico de representação das barreiras, preocupações e questões estudantis nunca é descurado. O jornal manteve-se em atividade até aos dias de hoje, sempre no modelo de distribuição livre e gratuita, sendo agora uma publicação digital que poderão encontrar em diferencial.tecnico.ulisboa.pt.
A descoberta de todo o património que nesta edição homenageamos foi, em partes iguais, um despertar para a riqueza particular do Diferencial mas também a aquisição de um sentimento de “demasiada areia” para o nosso camião. Ainda assim, é com toda a confiança no trabalho da equipa e com orgulho na continuação deste legado que na presente edição esperamos fazer jus a todos quanto vieram antes de nós. Como não poderia deixar de ser, não só esperamos com esta publicação criar um memorial desta história como enriquecê-la com uma perspetiva analógica dos temas de sempre – o
movimento e a vivência estudantil.

Diogo Faustino

Patrícia Marques

P’la Direção do Diferencial

Comentários

Leave a Reply

%d bloggers like this: