Movimento: um conceito que engloba todas as escalas de dimensão e complexidade, desde uma chave a cair do bolso até às órbitas dos astros do Universo, que durante tantos milhares de anos foram um enigma que incomodou as mais brilhantes mentes matemáticas. Uma coisa é certa: os movimentos estão, sempre estiveram e muito provavelmente sempre estarão intimamente ligados ao ser humano, sendo uma componente da Natureza que sempre quisemos entender e manipular para nos aproximarmos dos mais grandiosos objetivos. Nos dias que correm, em milhares de salas de aula por todo o mundo, alunos aprendem algumas leis físicas básicas para compreender algo tão corriqueiro como a trajetória de uma bola de futebol. 

No entanto, os movimentos não se restringem às equações e leis que aprendemos na nossa faculdade. Para além de físicos e bailarinos, também historiadores e sociólogos se debatem com este conceito em diversas frentes, desde movimentos socioeconómicos e culturais até vagas de migração ou asilo. Na presente edição, são exploradas diversas vertentes dos movimentos, acutilante e conscienciosamente, espelhando e analisando a realidade atual europeia de forma incisiva, mas também numa abordagem mais intimista e criativa.

O sumo da presente edição evidencia-se em poemas e prosas, análises e improvisos, sempre de mão dada com a exploração de fluxos de informações e a exposição de correntes de pensamento. Mesmo os artigos mais marcados por posições pessoais e ideias em nós insurgentes apostam em trazer novas perspetivas e conhecimentos, precisamente como um movimento de ideias. 

Joana Abreu

Patrícia Marques

Diogo Faustino

P’la Direção do Diferencial

Leave a Reply